sábado, novembro 10, 2007

UXU@TERREIRO_DO_PAÇO » 18 NOV 17H


18 de Novembro 07
Terreiro do Paço / Praça do Comércio
Sugestão para Domingo ensolarado [a ver]:
Acordar tarde
Saborear, calmamente, o repasto das 12h
Café demorado p'rós lados da baixa da capital
16h » Oficina de Danças para ajudar a digestão
17h [+ coisa - coisa] bailar para fazer fome para jantar!
Até já

sexta-feira, novembro 02, 2007

6 NOV 07 » UXU EM VISEU


É já na próxima terça, por terras de Viriato!
Apareçam.
++ info aqui
Até já!

terça-feira, outubro 02, 2007

UXU @ ALVAIÁZERE [LEIRIA MAS + PERTO DE TOMAR] 6 OUT 2007




Sugestões para fds alargado:


Visita a Alvaiázere p/ comer leguminosas, passear de burro, jogar e bailar até cair :-)

Tocamos no dia 6, pouco depois das 24h (mais a atirar p/ 7 portanto :-) no Parque Multiusos em "Baile com fogo de campo"!

Programa completo aqui »
Até Já!

sexta-feira, setembro 21, 2007

UXU @ AVEIRO . CORETO . PRAÇA DO PEIXE . 22 SET . 22H30

Lá estamos, amanhã, 22 de Setembro, na Praça do Peixe (coreto) em Aveiro. Encontro marcado p/ as 22h30 [maiscoisamenoscoisa:]

Gig dançante integrado na Juv.Move [Semana da Juventude de Aveiro]

Durante o dia há oficinas de danças portuguesas e europeias por Matias e Marina. Mais Info aqui!

Estão tod@s convidad@s [incluindo carapaus, sardinhas, garoupas, besugos e bacalhaus] para BALHOS E BRINCADEIRAS NO CORETO ao ritmo do TRAD RADICAL :-)

Que o espírito do GRANDE SALMÃO esteja connosco!

Até já ;-)

quarta-feira, agosto 29, 2007

UXU @ CARREGOSA [Oliveira de Azemeis] » 1 Set 07 » 22h [+coisa-coisa]


+ 5 badalos ;-)



Sugestão UXU:


"Vá para fora cá dentro" :-)


Próximo Sábado, 1 de Setembro - Cedo erguer p/ passeio por "Terras de La Salette" e Ferreira de Castro, sempre à beira do rio Antuã, apreciando a bonita paisagem e a gulosa gastronomia local.


Noite dentro - Pé ligeiro p/ bailarico saltitante ao som de camaleónicas sonoridades.



Mapa e um pouco de história aqui.


Até já ;-)

quinta-feira, agosto 09, 2007

Viagens Gigs e Imagens

Boas,

6 gigs e muitos km depois, estamos de volta a casa p/ repousar os ossos e refrescar os instrumentos (sim, eles sentem esta coisa da canícula muito mais que nós e são exigentes nas relações :-)

Contas feitas, são 3 gigs no Andanças, 1 em Valado de Frades, outro em Caldas da Rainha e outro ainda em Tavira. Um grande obrigado ao pessoal que organizou, produziu, sonorizou, iluminou e bailou.

É interessante viajar num país verde e amarelo, perceber os contrates que o sol e a água vão escrevendo na paisagem e participar nos ritmos das pessoas que a habitam -, confesso que ainda estou confuso com esta coisa da imperial e do fino, é importante!...

A viagem, desta feita também por terras de Espanha, recomeça no dia 18 de Agosto, com gig dançante em Barriosa [Seia].

De 19 a 23 de Agosto estaremos no Danzas Sin Fronteras [Burgos - Espanha] » Programa aqui.

26 de Agosto a Xukalhada prova o mel da Feira de Sesimbra [c/ oficina de danças pela tarde - 17h - entrada livre]. FEIRA DO MEL [Sesimbra] aqui [pág. 8 e 31].

Entretanto, partilhamos convosco o excelente trabalho do Eduardo Araújo, a quem agradecemos a disponibilidade e amabilidade, referente ao concerto no TOM DE FESTA [Tondela] -, outra vez obrigado ao pessoal do ACERT, pelo convite, pela simpatia e pela Festa :-)
Até Já!
*clicar na imagem p/ ver em formato grande












terça-feira, julho 17, 2007

UXU em Portel @ Festa da Juventude . Parque do Rossio . 21 Jul . 22h

Próximo Sábado, 21 de Julho.
É o regresso ao sul.
Há Oficina de Danças às 17h nas Piscinas Municipais (acho que até eu vou participar ... é bem pensado! Com a "calmaria" é mesmo o que apetece :-)
Programa completo aqui »»
Até já!

UXU em Tondela @ Tom de Festa . 18 Jul . 24h


É já amanhã!
18 de Julho, à hora da Cinderela (meia noite).
É favor deixar sapatos e chanatas e bailar até cair ;-)
Programa completo aqui »»
Até já!

domingo, julho 08, 2007

O trad Frances tem pouco mais de 30 anos...

Les musiciens traditionnels d’aujourd’hui savent, qu’il y a plus de trente ans, tout était à redécouvrir, à refaire. Les musiques, les danses et les instruments, tout était enfoui dans les mémoires. Nos musiques se sont réveillées, grâce aux travaux de nombreux passionnés. Mais encore fallait-il des évènements audacieux, capables de rassembler et d’accompagner ces énergies et ces passions.

Thierry Bertrand

Traduç
ão (sem acentos): Os musicos de hoje sabem que ha mais de 30 anos tudo estava por redescobrir, por reedificar e reinventar. As musicas, as danças e os instrumentos estavam vivos apenas na memoria de uns poucos. As nossas musicas despertaram outra vez graças ao trabalho de muitos apaixonados. E foram os grandes eventos audaciosos [St Chartier] que permitiram centralizar e acompanhar a energia dessas paixoes.


quarta-feira, junho 27, 2007

Criatividade, energia e identidade cultural

*Crónica escrita para o Canto nómada

Aqui há uns anos, era eu um jovem, juntei-me a alguns amigos e começámos juntos o Andanças. O festival que começou com duas centenas de pessoas, era a realização de uma utopia de cultura participativa, mais do que um festival de dança. As primeiras equipas que organizaram o Andanças eram pessoas que pouco ou nada tinham a ver com a dança, pelo que essa filosofia era intuitivamente assumida por todos; a alegria e energia que nos movia a todos era a de um grupo de amigos que faz algo em conjunto de positivo, de optimista e com a intenção de mudar algumas mentalidades. A dança foi o pretexto, o meio para atingir outro fim. A finalidade era realizar um evento cultural onde cada um participava activamente, não se limitando a ser o espectador passivo da cultura dos nossos dias. Relativamente à música e à dança também havia objectivos: queríamos começar em Portugal uma revolução que aconteceu em França, Inglaterra, Irlanda, Itália e Espanha há dezenas de anos e que reinventou a música tradicional (ou se quiserem de raiz tradicional) e lhe deu outra vida. Lá como cá, a dança estava cristalizada nos grupos de folclore e a música estava na memória de muito poucos ou esquecida nas prateleiras bolorentas dos museus de etnografia. Esta revolução “revivalista” como lhe chamam os franceses, passou essencialmente pela recuperação das danças e dos instrumentos tradicionais e pela reinterpretação dos velhos temas tradicionais e composição de novos temas, muitos deles para danças que já existiam.

Pela inexistência em Portugal de grupos que fizessem baile fora do universo do Folclore ou da música Pimba, no primeiro Andanças vieram dois grupos, um de França e outro da Catalunha; trazer grupos estrangeiros para o Andanças foi num primeiro momento obrigatório pela inexistência de alternativa em Portugal, e numa segunda fase, muito importante para deixar o bichinho da música: não se pode convencer as pessoas a tocar um instrumento por decreto. Só pela retransmissão natural deste gosto é que a coisa funcioana, e neste caso ter muitos músicos, mesmo que estrangeiros, a tocar em todo o lado e a qualquer momento contribui para deixar a semente da música pelas nossas paragens. Mais tarde, com o Encontro de tocadores (agora chama-se Tocar de ouvido), este propósito ganhou os contornos desejados desde o o início do Andanças, e a revolução começou a dar passos firmes na direcção certa. Agora, o objectivo tinha passado de despertar o gosto pela música para estar centrado nos instrumentos portugueses. Enquanto que instrumentos como a concertina ou a viola braguesa continuavam a ser tocados por muitos, outros instrumentos como a viola campaniça ou a flauta de tamborileiro estavam em declínio assentuado, e foi a partir do encontro de tocadores que esta situação se inverteu; eu sou uma “vítima” desta dinâmica, e comecei a tocar flauta de tamborileiro e travesso depois destes eventos. Adiante.

Ao longo dos anos começou a haver grupos Portugueses, mas poucos fizeram o que seria de esperar: pegar no que é nosso e subverter a coisa de fio a pavio. É que na prática, o que hoje conhecemos como música irlandesa, francesa ou bretã é na sua esmagadora maioria música de autor, e seria de esperar que em Portugal, depois de se perceber a lógica da coisa, os músicos fizessem o mesmo; a nosso favor temos músicas que no seu estado puro são de uma beleza incomparável (do que ouvi, o mesmo não se passava com a música francesa, catalã ou irlandesa, em que as recolhas são muito duras de ouvir). Contra nós temos meio século de maturação das músicas e danças dos outros países, pelo que é muito mais fácil replicar o que já está feito, seja um Gigue irlandês ou uma Bourrée francesa. Difícil é pegar num “Verde Gaio” e dar-lhe a volta, compor uma “Chula” e fazer com que a dança funcione ou reinventar os “Viras”. Mas o prazer que dá tocar e dançar o que é nosso é indescritível. Eu, que sei muito mais músicas e danças Francesas que Portuguesas sou disso testemunha.

Não quero agora começar uma cruzada contra o Trad estrangeiro, perseguindo, combatendo e aniquilando os infieis; mas a verdade é que mais de dez anos depois do Andanças ter começado, a revolução está coxa: os grupos Portugueses juntos, agrupando os alinhamentos todos de cada grupo, devem tocar na totalidade 15% de música e danças Portuguesas, o que é francamente pouco. E claro, esta situação não mudará por decreto; por isso, eu pessoalmente radicalizo a minha postura: toda a energia que dedico à música é 100% para a música Portuguesa, porque é nesse domínio que sinto estar a partir pedra, a inovar a tradição, e o prazer que tenho ao fazer isto é para mim uma descoberta inesperada, com sensações surpreendentes: meia hora de “toques à desgarrada” com as velhas de Caçarelhos (Trás os Montes) equivalem a trinta horas de “jam” nos festivais da Europa. Essa é que é essa. Como se a nossa música fizesse vibrar em mim a corda da identidade cultural; é uma sensação estranha, quase mística, mas de uma força e paixão avassaladora. E é essa paixão que eu sei que posso transmitir aos outros, com alguma radicalidade (afinal trata-se de música de raiz), muita energia, algum optimismo e a imensa alegria de celebrar a cada nota um património que em definitiva já não está morto. Apesar de tudo, a revolução está em marcha, a música e dança “pós-tradicional” já está na rua.

terça-feira, junho 26, 2007

Uxukalhus na BEIRATV e no MULTIPISTAS.BLOGSPOT:COM


Aquando do nosso baile em Proença-a-Nova, Jorge Costa, conductor do programa MULTIPISTAS - MÚSICAS DO MUNDO, difundido sábados, entre as 17 e as 18 horas, na Rádio Urbana (Castelo Branco - 97.5 FM; Fundão, Covilhã e Guarda - 100.8 FM), fez-nos uma entrevista que resultou numa Reportagem video, reportagem audio, fotografias, e tudo mais. Basta clicar!
O bónus é a versão integral da Saia da Carolina!

segunda-feira, junho 25, 2007

MED: UXU em LOULÉ 29.Jun.2007


Já na próxima sexta-feira, 29 de Junho, os Uxu vão estar em Loulé.
Concerto/Baile com oficina de danças à mistura [Rita Duarte]
Aceitem o convite dos Uxu e da Rita para um Pézinho de Dança no
Palco do Castelo
às 20h45 [sem falta:-] » uma boa maneira de ganhar apetite para a Janta :-)
Até Já!

programa do festival aqui!

terça-feira, junho 05, 2007

UXU EM PROENÇA-A-NOVA | 12 DE JUNHO | 22H


Não há 2 sem 3!
Depois de Faro e Abrantes, rumamos mesmo ali à Beira para tocar nas Festas do Concelho de Proença-a-Nova - Semana do Município.
Dia 12 de Junho às 22h.
Programa completo aqui.
Até já!
PS: Parece que há tasquinhas e insufláveis (não confundir com tasquinhas insufláveis)

10 DE JUNHO » UXU EM ABRANTES @ PRAÇA BARÃO DA BATALHA . 21H30

Lá estaremos!
10 de Junho, 21h30 na Praça Barão da Batalha.
Programa completo aqui!
Até já!

segunda-feira, junho 04, 2007

UXU MARAFADOS EM FARO . 9 JUNHO @ ASS. DE MÚSICOS



Já no próximo Sábado, dia 9 de Junho, estamos de volta ao
Algarve para "marafar" a Associação de Músicos de Faro em
baile saltitante!
Consultem o programa das festas em cima.
Parceria ARCA / TRAD BALLS
Até já!

terça-feira, maio 29, 2007

UXU nos "Arraiais do Mundo" em Tavira » 2 de Junho 07 » 23h

La estaremos, para fazer a festa :-)


Até Já!
TZ





toda a programação aqui!

segredo: Celina faz Oficina "Ensemble Tradicional" [todos os instrumentos] no Jardim do Coreto às 18h ...

sexta-feira, abril 20, 2007

UXU NO CAFÉ ABRIL EM ÉVORA [24/ABR@SOIR]


24 [+ a atirar para 25] de ABRIL na SOIR JOAQUIM ANT.º D'AGUIAR EM ÉVORA
isto é, 24 de abril lá para as 24h ou, se preferirem, 25 de abril pelas 00h!
a XUKALHADA parte a loiça logo depois dos CANTARES DE ÉVORA
ENTRADA LIVRE!
até já!

quarta-feira, abril 18, 2007

TOCAR DE OUVIDO, Encontro de Tocadores




TOCAR DE OUVIDO
Encontro de Tocadores
Évora, 28 de Abril a 1 de Maio 2007

INSCRIÇÕES ABERTAS!

Programa (Em actualização):

Sábado, 28 de Abril:

14.30-16.00h: Boas vindas aos participantes, Apresentação de tocadores e pivots
16.30 – 18.30h: oficinas de instrumentos
21.30-22.30h: apresentação dos instrumentos
22.30h: noite informal no Espaço Celeiros

Domingo, 29 de Abril:
10.30h – 12.30h: oficinas de instrumentos
11.00h: Oficinas para Crianças: "Histórias e Partituras" por Sophie Coquelin e Bruno Cintra
14.30h - 16h: Tertúlia: "A toque da Concertina", por Artur Fernandes
16.30h – 18.30h: oficinas de instrumentos
21.30-22.30h: apresentação dos instrumentos
22.30h: noite informal no Espaço Celeiros


Segunda, 30 de Abril:
10.30h – 12.30h: oficinas de instrumentos
14.30h - 16h: Tertúlia: Estudos académicos sobre a música popular", por António Tilly, Instituto de Etnomusicologia
16.30h – 18.30h: oficinas de instrumentos
21.30-22.30h: apresentação dos instrumentos
22.30h: noite informal no Espaço Celeiros

Terça, 1 de Maio:
10.30h – 12.30h: oficinas de instrumentos
11.00h: Oficina para Crianças: "Povo Arti" por Bitocas
11.30h - 13h: Tertúlia: "Novas abordagens aos instrumentos e música portuguesa", por Carlos Guerreiro.
Almoço com todos os participantes.
Após almoço: partida dos participantes.


SOBRE AS OFICINAS:

Cada oficina conta com a presença de um Tocador tradicional, músico que transmite não só as técnicas de execução, mas também a sua experiência e história de vida, bem como o conhecimento dos contextos da tradição. A ligação com o público far-se-á com o apoio de um pivot, um músico urbano que faz a ponte e apoia o trabalho que se desenvolve entre o Tocador e os seus aprendizes.

Concertina Manuel Gomes Vale (tocador) + Artur Fernandes (pivot)
Flauta de Tamborileiro Santiago Bejar. (tocador)
Gaita-de-fole Flamínio de Almeida e António Roque (tocadores) + Pablo Carpinteiro (pivot)
Viola Campaniça Manuel Bento (tocador) + Pedro Mestre (pivot)
Rabeca Chuleira Bernardo Ribeiro (tocador) + Manuel Rocha (pivot)
Flauta Travessa Joaquim Torres (tocador) + Gil Nave (pivot)

Mais informações e inscrições Aqui

terça-feira, abril 10, 2007

Baile em Setúbal!

Já na próxima 5ª feira, dia 12 de Abril, integrado na temporada 'Concertos Instituto Politécnico de Setúbal 2007', haverá baile de Uxukalhus no INATEL de Setúbal (frente ao jardim da beira mar). Terá inicio ás 19h30, e a entrada é livre!





quinta-feira, março 22, 2007

Responsabilidades

Se alguém tem culpa o cartório na influência das músicas europeias no movimento trad em Portugal sou eu; mas as coisas foram feitas como foram feitas porque simplesmente não havia alternativa, já que em 1996 não havia um único grupo português a fazer música para dança. Mas para que as coisas fiquem claras, deixo-vos com um texto escrito em 1997, a propósito dos Bailia:


"Desde sempre, num tempo em que a história se perde na memória dos povos, a dança tem constituído um meio privilegiado de expressão cultural, estabelecendo as diferenças e semelhanças entre povos, países e regiões: em Cabo Verde e no Brasil; em Portugal e no Québec; na Catalunha e no País Basco; no País de Gales, na Irlanda e na vizinha Galiza; em França e na Bretanha; na Gasconha e na Polónia……; podemos encontrar , entre todas estas culturas, pontes que as aproximam através da dança (Mazurcas, Quadrilhas,….) e da música (Concertina, Violino,….) mas que em cada local adquirem uma cor diferente, enriquecendo o nosso património universal comum.

Este processo cultural, contínuo e ininterrupto desde o seu início, corre agora o risco de se perder na sequência do crescente triunfo da lógica individualista das sociedades modernas. Em Portugal, os espaços naturais da dança e da convivialidade popular - os terreiros das aldeias, no final de mais um àrduo dia de trabalho, as grandes romarias de Verão ... - foram perdendo gradualmente o seu lugar em favor da música Pimba, do Big Show Sic e da ida ao Hipermercado do bairro ou da cidade mais próxima. A harmonia antes assim celebrada, através da dança e da música, entre o Homem e a Natureza, acompanhando os ciclos das estações do ano, do trabalho, da alegria, da vida, perde-se agora cada vez mais nos meandros da mentalidade urbano-depressiva. Com tudo isto perde-se também o sentimento profundo de pertença a um todo, em que quem toca e quem dança se junta para formar um colectivo que é muito mais que a mera soma das partes.

Quem participou já de algum modo nestes movimentos contracorrente (que fazem desta filosofia a sua bandeira), seja em França, na Irlanda, em Espanha ou em qualquer outra parte do mundo, guardou certamente na pele o sabor inesquecível de viver uma experiência única de festa e partilha. É essa experiência que queremos que todas as pessoas que participem numa festa dos Bailia tenham a oportunidade de viver. Talvez assim, devagarinho, as danças voltem às ruas, e a cultura saia da sua redoma de vidro, forçosamente com estilhaços e muitos gritos, mas - também por isso - decididamente viva e reinventada, quebrando as engrenagens monolíticas do pensamento único (que virá a seguir à moeda única…).

PAULO PEREIRA "

Também indispensável é este texto de Miguel Cardina sobre a razão histórica da tal vergonha que existe dem tocar coisas portuguesas. As danças já estão resgatadas; agora temos é que pegar no touro pelos cornos e reinventar o folc Português. E ainda, um texto documental sobre a música e a dança.

quarta-feira, março 21, 2007

UXU XUKALHA ÉVORA » 24 DE MARÇO

Parece que temos uma sina com
o 24 (tocamos quase sempre a 24 e ... ainda bem :-)
Desta vez é o regresso a Évora para tocar num palco grande
no Jardim Público da Cidade.
24 de MARÇO lá para as 23h30 » Entrada Gratuita.
Até Já!

segunda-feira, março 19, 2007

A propósito

Pegando na provocação do Tiago (http://www.modularvideo.blogspot.com/), fica desde já feito o desafio à PX; no próximo Andanças, deveria haver uma cota minima de danças portuguesas no repertório dos grupos Portugueses convidados. Estou a falar muito a sério. Pelo menos de 25%. Chama-se discriminação positiva, e começa a ser necessária. A ver se o Andanças deixa de parecer uma feira de produtos de exportação franceses em terras de Viriato. A revolução na música (tradicional) tem que ser feita cá dentro, não se pode importar o produto irlandês ou francês já pronto a consumir. Ainda por cima os franceses e irlandeses serão sempre melhores que nós a fazer as suas músicas.

sexta-feira, março 16, 2007

Uxu no Kilombo

Sábado 17, pelas tantas da noite (mais lá para a madrugada), no Kilombo, junto à freguesia de Benfica. Fica feito o convite. Que o espírito do grande salmão os faça galgar as trevas e trazê-los até nós, para muita música, bastante animação e um pézinho de dança...

domingo, março 11, 2007

Erva Cidreira

Deixo-vos com a dita, obra e arte do Tiago Pereira na feitura do video-clip.

sexta-feira, março 09, 2007

Mazurca nos celeiros

9 minutos de Mazurca, assim à bruta.

sexta-feira, março 02, 2007

Vídeo Clip d'Uxu Kalhus

Últimas, últimas! não, não venho falar da OPA falhada da Sonae sobre a PT, mas de uma coisa muito mais importante.
Aqui vai: o Tiago levanta um pouco o véu e dá-nos 8 segundos do vídeo-clip da Xukalhada (que estará pronto para a semana). Vá lá, podem dar uma espreitadela por baixo do pano. Mas apenas 8 segundos!

Viva a música Popular

O Tiago Pereira, artesão do Vídeo e afins, lançou um desafio muito interessante: o de centralizar todos os vídeos de recolhas de músicas e danças populares que estiverem espalhadas por prateleiras bolorentas e discos rígidos por esse Portugal fora; para isso, "está criado um mail www.popularportuguesa@gmail.com, aliado a ao you tube channel popularportuguesa, os dois com a password adufes. Isto é só o principio mas acho que com o tempo dará para perceber a continuação natural; por favor passem palavra e enviem videos para este channel. As recolhas portuguesas no you tube", como ele próprio diz. Mais tarde (mas mais cedo do que julgam), todas esta informação estará disponível num site perto de si, para ver, ouvir, sacar músicas, apreciar, desfrutar, etc. etc. etc.
Vá lá pessoal, toca a tirar os mini-DV's da gaveta e vamos lá constituir uma memória colectiva da MPP. Vão ver que não custa...

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Filosofias Ribeirinhas

A propósito dos Rios, ele há uma ideia que os Rios ajudam a explicar, à laia de parábola. Na música, como na cultura, aquela que é veiculada em 99% das rádios, TV's e outros medias, os ingleses (e Americanos) apelidaram de "mainstream".


Mainstream Media

Esta expressão, vinda directamente da terminologia ribeirinha, quer dizer "Rio Principal", o que na europa se aplicaria ao Danúbio, ao Sena ou (à nossa escala) ao Tejo. Curiosamente, estes rios "principais", por terem grandes bacias hidrográficas, levam com a poluição toda no lombo, e são rios que do ponto de vista do valor ecológico andam entre o sofrível (com uns quantos peixes, mas sem bosques nem aves nem mamíferos) e a cloaca (algas verdes e taínhas).
Por isso, orgulho-me de pertencer a um grupo musical que não é "mainstream". Somos antes "upstream", uma pequena ribeira de montanha, pouco conhecida, mas que quem a descobre se espanta pela diversidade que alberga, entre melros de água e guarda rios, lontras e toupeiras de água, lagartos de água, salamandras e tritões, narcisos raríssimos e fetos tropicais, bosques e cogumelos multicolores, pequenos açudes, poldras e pontões, moinhos a laborar e socalcos milenares, contruindo um mundo por poucos conhecido mas inesquecível para quem o descobre. Por isso, venham daí aos nossos concertos e bailaricos, para conhecerem uma genuína banda "upstream", com sonoridadades tropicais, energias amazónicas, diversidades estílisticas, irreverencias naturalistas, torrentes criativas tumultuosas e muitas surpresas a cada curva da "ribeira musical" que ousaram franquear.
Por isso, não se deixem contagiar pela monotonia de um Tejo ou pelos odores duvidosos de um Danúbio na foz; atrevam-se a galgar montanhas e a escalar ravinas e venham daí descobrir o "upstream" Folc-Rock-Jazz d'Uxu kalhus.
Mas tenham cuidado, porque estes rios de montanha por vezes levam muita água: não se deixem arrastar pela corrente irresístivel da Xukalhada "Upstream"!

Que as águas oligotróficas e o espírito do Grande Salmão fiquem convosco.


Águas tumultuosas de um Rio "upstream"

Glossário e notas finais - No entanto não esperem ver Melros de água ou salamandras endémicas nas nossas actuações; era uma espécie de metáfora naturalista: a nossa música é rica e diversa como um Rio de Montanha. Estão a ver, não é?
A tirada do Salmão é porque só encarnando o espírito deste musculado peixe é que poderão libertar-se das monotonias dos grandes rios, e subir contra-corrente até chegar às águas cristalinas das montanhas. A parte de desovar e morrer inerente ao ciclo de vida do salmão é facultativa no caso do aspirante a "upstream" Music.

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

The end

Chegámos ao fim da digressão, depois de 29 datas, onde passámos pelo Algarve (2), Castro Verde, Évora, Almada, Lisboa (5), Antena 1, Cascais, Abrantes, Leiria, Fundão, Sabugal, Coimbra (2), Estarreja, Águeda, Aveiro (2), Tondela, Porto (5) e Vimioso, não necessariamente por esta ordem. Ao longo de dois meses e meio, tocámos muito, apanhámos um fartote de quilómetros no lombo, crescemos como grupo e demos um bocadinho de nós em cada sala, café-teatro, rua, auditório onde estivemos. Sonoridades Camaleónicas ao Centro, Trad Radical no Sul e Folc Subversivo lá mais para Norte foram os ingredientes deste lançamento. Descobrimos muita gente boa, e tivemos recepções muito calorosas.
Para breve está o vídeo-clip (o Tiago Pereira está a dar-lhe com uma ganda alma), a página oficial (com o Miguel Marques nos comandos) e outros mimos produzidos pelo incansável Pedro Góis no design (página, cartazes, autocolantes, T-shearts, press-kit, etc.). Pela entrega destes colaboradores indispensáveis para que Uxu Kalhus não sejam apenas um grupo de baile, já os consideramos parte da banda. E agora, muito em breve, vamos atacar as televisões. Não percam o ataque, que nós também não!

PS - quem foi ao Entrudanças é favor não comentar a idumentária dos músicos.



quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Antenção! Mudança de planos!

Por imprevistos alheios à vontade deste vosso escriba e de quem nos tinha programado, a gig marcada para 16 de Fevereiro no Café Teatro Aveirense foi cancelada. Por isso, substituímos a coisa por dois gigs, dia 15 de Fevereiro (5ª feira) pelas 22h (+-35') no Mercado Negro, e dia 16 (6ª feira) pelas 18h30 no Media Markt, tudo em Aveiro. Entretanto, o Vídeo Clip estará pronto lá para os fins de Fevereiro, assim como a Grande Página Oficial da Xukalhada. Até breve, num baile perto de ti...

segunda-feira, janeiro 29, 2007

Uxu Kalhus - Bard'O - Águeda

Aquele abraço ao pessoal da D'Orpheu!


5 em 3! Crónica de uma viagem anunciada e muitos agradecimentos!

26 de Janeiro

À terceira foi de vez! Dois carros birrentos depois, com reboque à mistura, lá consegui chegar a Almada para resgatar a nossa menina e seguir viagem para a Invicta (um GRANDE obrigado à Diana pelo empréstimo da viatura :-)
Concerto na Fnac de St.a Catarina com atraso mas ... com aquela energia. Obrigado a todos/as por terem esperado.
Sem deixar arrefecer, seguimos para Estarreja (não vão acreditar mas ... pelo meio ainda houve tempo p/ alarme de furo na roda dianteira!!! pela terceira vez, no mesmo dia, vesti o colete florescente. Que sensação!).
Assim, de rajada, chegamos ao Café-Concerto do Cine-Teatro de Estarreja para uma boa surpresa: casa composta e gente dançante! Obrigado ao Hugo e a toda a equipa e ainda ao Paulo Brites pelos sons que partilhou connosco logo depois do gig.
Regresso ao Porto (devagar, muito devagar ... não fosse o combustível acabar)!
Hamburger às 4h30 da matina e ... descanso dos guerreiros.

27 de Janeiro

Acorda-se à hora de almoço e toma-se o pequeno-almoço em cafetaria simpática na baixa portuense.
Alguns enganos mais tarde chegamos à Fnac do Norte Shopping para mais uma "Revolta" da Xukalhada.
Novo percalço: Pedaleira do amplificador da guitarra diz ... ou melhor, não diz absolutamente nada! Talvez esteja zangada comigo.
Operação de emergência c/ material de suporte vital logo ali no café da fnac! Sem resultados :-( ... Mas temos de agradecer a paciência do técnico de som ... muito obrigado pela disponibilidade e pela tentativa!
Invade-se o espaço com sonoridades camaleónicas e salta-se muito! Obrigado por terem aparecido ;-)

19h - Quem precisa de GPS quando se pode ter um Osga?
De telelé na orelha direita rumamos ao Contagiarte com as indicações precisas do amigo ... Osga.
Chegamos e espera-nos um belo banquente, recheado de iguarias várias e boa conversa.

23h30 - Bailebúrdia fazem bater o pé e mexer o corpo. Parece que estão lá todos os últimos Sábados de cada mês, sabiam? Vale a pena aparecer ... conselho de guitarrista saltitante!

1h30 (mais coisa menos coisa) - Chega o folc subversivo. "Muita dança, muita festa, muita misturada" ...
Fica um "cheirinho": http://www.myspace.com/katorlife

Forte abraço ao Osga, à Rute e a toda a equipa do Contagiarte. Obrigado pelo acolhimento, pela simpatia, pelas almofadas e pelos pufes ;-)

28 de Janeiro

12h30 - Viagem para Coimbra, com desvio em Aveiro para aconchegar os estômagos e reaver energias dispersas.

17h - Trad radical na fnac de Coimbra, muito e simpático público (pronto ... havia alguns amiguinhos, obrigado por aparecerem :-).
Tempo ainda para uma conversa c/ a equipa de reportagem da ESEC TV , a quem agradecemos o interesse e a disponibilidade. A peça deverá passar no dia 7 de Fevereiro na 2: (RTP) à 1h (ou seja, já é dia 8).

Café e regresso a casa sem rádio no carro.

Canta-se, para não adormecer ...

The end

sexta-feira, janeiro 26, 2007

Grupo de risco

Voltando ao tema, o que acontece é que gostamos de tocar no limite, no limite dos instrumentos, das possibilidades técnicas, da complexidade de arranjos. Por isso assumimo-nos como um grupo de risco, não naquele sentido médico-criminal (daqueles grupos de risco para certas doenças ou para certas actividades criminais menos lícitas), mas porque gostamos de arriscar, e improvisar e fazer coisas que só com a adrenalina dos concertos ao vivo é que podem sair bem (sim, disse concertos; nem só de bailes vive o Homem). É por estas e por outras que dispensamos drogas para estar à vontade em palco (quer dizer, um copito de vinho antes até ajuda a estabelecer sinapses musicais entre os neurónios mais recalcitrantes). Basta-nos a adrenalina do momento, a excitação de estar sempre a fazer algo de novo, as endomorfinas abençoadas que nos fazem resistir de pé horas a fio. Enfim, isso tudo e uma sala com pouca humidade (como todos sabem, a humidade é a maior inimiga do músico; depois explico) e muita gente a arrastar os pés ao som da música e da secção rítmica (não necessariamente por esta ordem).


Incidência criminal por faixa etária

quinta-feira, janeiro 25, 2007

Uxu ao vivo na Antena 1

Para quem tenha curiosidade, o podcast da Antena 1 (Viva a Música) já está disponível, em wma (Uxu ao vivo I) ou em real (Uxu ao vivo II). Para outros, que pensavam que o CD era uma artimanha de estúdio (e logo nós, com os recursos financeiros infindáveis de que dispomos), fica a prova de que afinal até conseguimos tocar aquelas malhas ao vivo. Enfim não foi perfeito, mas lá está, nós somo adeptos da pregada espontânea, em nome da improvisação, da energia electrizante e da genuinidade musical. Boas músicas, melhores bailes.

terça-feira, janeiro 23, 2007

Uxu na Antena 1

Para quem não ouviu Uxu Kalhus na Antena 1, no Viva a Música, poderá ouvir em directo na 4ª feira dia 25 de janeiro pelas 22h. Depois disso, poderá ainda ir ao podcast da Antena 1, onde o programa ficará disponível. Nós continuaremos na estrada. Depois do passado fim de semana termos andado por Abrantes, Sabugal e Leiria, vamos agora fazer Estarreja (6ª à noite), Porto (FNAC's Santa Catarina e Norte Shoping, terminando no Contagiarte no Sábado à noite), e Coimbra (Domingo pelas 16h). Abraços ao pessoal de Leiria, Sabugal e Abrantes, pela recepção calorosa (apesar das temperaturas gélidas) e pela vontade de bailar. Assim de repente é tudo.

terça-feira, janeiro 16, 2007

Salão Brasil

Reportagem fotográfica do Baile no Salão Brasil, em Coimbra. Muito bom, o trabalho do Bernardo Lopes Feio.

Uxu Kalhus no Viva a Música (Antena1)


Uxu Kalhus - Viva a Música - Antena1 - Teatro Igreja da Luz
Uxu Kalhus vão estar no programa de rádio Viva a Música de Armando Carvalheda (Antena 1) no dia 18 de Janeiro (5feira) às 15horas. Apareçam a entrada é gratuita!
(façam o download da imagem)

segunda-feira, janeiro 15, 2007

Mais uma acha para a fogueira...

Mais um tubo do YouTube versando a 'Xukalhada. Desta feita de autoria de Mário Pires, da Retorta.

E ainda, hoje passa uma entrevista com um badalo revoltado na Emissora das Beiras, pelas 21h. Quem não poder ouvir em directo, pode ouvir através da net, indo ao site da Emissora das Beiras

quinta-feira, janeiro 11, 2007

Uxu Blá Blá e Sonoridades Camaleónicas ao Centro!

Muita conversa!

Vamos por partes:

- Hoje às 19h - Entrevista no programa SANTOS DA CASA (R.U.C)
- Amanhã bem cedo, pelas 7h20 os Uxu estarão nas telefonias que captarem a ANTENA 1 (repetição às 15h50)
- Também amanhã, Uxu no programa CULTURAMA (R.U.C) às 16h
- Ainda amanhã, destaque no Público (edição Centro) ... mas ainda é segredo :-)

No ciberespaço, duas sugestões: Rua de Baixo e Rodobalho

Agora ao Trad-Folc-Rock

Lá estaremos, amanhã em Coimbra (Salão Brasil) e no Sábado em Tondela (ACERT).

Até Já!

Vídeo-clip

Vídeo-clip de um concerto ao vivo, feito pelo mestre da animação e da imagem Tiago Pereira. Vejam que vale a pena. Atenção ao primeiro personagem (parecido com uma minhoca), porque se não depois não entendem a história.

Vídeo da Mazurca de Cabo Verde "Maria de ceição"



quarta-feira, janeiro 10, 2007

Vimioso

Muito bom; muito bom o acolhimento (agradecemos ao pessoal da AEPGA, o apoio da CM de Vimioso, o público que veio de longe, as velhotas de Caçarelhos), o som, a sala, o jantar, a casa de turismo rural, o after ball. Uma das coisas que andamos sempre a ameaçar verificou-se: apesar de ser um auditório, o pessoal que quis bailar fez pela vida, e era gente a pular nos espaços entre as cadeiras, junto ao palco, na entrada, etc. etc.
Valeram a pena as 15 horas de viagem (sim, agora andamos na estrada com um bólide que nas subidas chega a fazer 40 Km/hora), valeu a pena pelos planos futuros de múltiplas conspirações. Voltaremos!

quarta-feira, janeiro 03, 2007

Lançamento do CD

Ja fizemos 11 datas, mas ainda faltam 17....
'Uxu Kalhus vão tocar em Janeiro e Fevereiro nas seguinte datas e locais, assim a modos de lançamento do CD:


12 de Janeiro (Sexta), Salão Brasil, Coimbra (22h00)

13 de Janeiro (Sábado), ACERT, Tondela (21h45)

18 de Janeiro (Quinta-feira), Antena 1, Viva a Música de Armando Carvalhêda. Teatro da Luz, Lisboa às 15h)

19 de Janeiro (sexta feira), Abrantes, Auditório Municipal (22h00).

20 de Janeiro (Sábado), Cine-Teatro do Sabugal (22h00).

21 de Janeiro (Domingo), Castelo de Leiria (18h00)

26 de Janeiro (Sexta), FNAC de Santa Catarina (Show Case às 18h00)

26 de Janeiro (Sexta), Bar do Cine-Teatro de Estarreja (22h30)

27 de Janeiro (Sábado), FNAC do Norte Shoping (Show case às 16h00)

27 de Janeiro (Sábado), Porto, Contagiarte, pelas 24h

28 de Janeiro (Domingo), FNAC do Fórum Coimbra (Show case às 16h00)

31 de Janeiro (Quarta), FNAC do Chiado (Show case às 18h30)

1 de Fevereiro (Quinta), FNAC do Colombo (Show case às 18h30)

16 de Fevereiro, Café Teatro Aveirense, às 22h45

17 de Fevereiro, Fundão, Moagem, às 21h.

18 de Fevereiro, FNAC do Algarve (Show case às 16h00)

19 de Fevereiro, Castro Verde, Entrudanças (24h) (The End)